Projeto foi detalhado aos representantes dos clubes de futebol do Estado, Federação Paraense de Futebol e órgãos de segurançaFoto: Alex Ribeiro – Ag. Pará

O Governo do Pará apresentou, nesta sexta-feira (26), o projeto para revitalização e readequação do Estádio Estadual Jornalista Edgar Proença, o Mangueirão. O projeto foi detalhado aos representantes dos clubes de futebol do Estado, Federação Paraense de Futebol (FPF) e órgãos de segurança e controle. Com investimentos da ordem de aproximadamente R$ 160 milhões e uma estimativa de 18 meses de obras, o Mangueirão terá capacidade para 53.635 espectadores após a ampliação. Antes, o espaço recebia no máximo 35 mil pessoas.

A previsão do Governo é licitar e iniciar as serviços ainda este ano. A pista de atletismo será mantida e modernizada. O projeto prevê, ainda, a ampliação da área de cobertura dos assentos onde ficam os torcedores, instalação de assentos com encosto na arquibancada, substituição das cadeiras na área cativa, moderno sistema de iluminação do campo e nas áreas comuns do estádio, além de ampliação na oferta de banheiros, duplicação e cobertura da rampa que os torcedores utilizam para acessar as arquibancadas e ampliação do estacionamento externo.

O governador Helder Barbalho ressalta que a definição do projeto foi coletiva, com a participação de clubes e federação de futebol, técnicos do Governo, Ministério Público e Confederação Brasileira de Futebol (CBF). “Apresentamos hoje o novo Mangueirão. Um projeto construído com muitas mãos para que possa estar adaptado à modernidade necessária, à qualidade para atender aos usuários e assegurando todos os critérios de segurança e acessibilidade”, destacou Barbalho.

“Para que o estádio possa comportar um maior número de torcedores, estamos aumentando a quantidade de assentos e, além disto, adaptando com todas as novas regras dos grandes eventos. Estamos fazendo com que o Mangueirão possa ser utilizado plenamente por nossos torcedores e estimulando que eventos nacionais e internacionais possam ser realizados” – governador Helder Barbalho.

Helder Barbalho destacou que a definição do projeto foi coletiva, com a participação de clubes e federação de futebol, técnicos do Governo, Ministério Público e Confederação Brasileira de FutebolFoto: Alex Ribeiro – Ag. Pará

O secretário de Estado de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop), Ruy Cabral, explica que, até a aproxima terça-feira (30), o Estado vai receber e analisar sugestões no projeto para revitalização e readequação do estádio. Ruy Cabral detalhou que, estruturalmente, o Mangueirão é seguro, mas serão realizadas correções e reforços para garantir longevidade ao estádio.

“É fundamental que todos participem. Isso não é uma ação só do Governo, envolve todas as entidades do futebol. Após esta fase de contribuição, vamos iniciar e aguardar o certame licitatório para, até o fim do ano, darmos a ordem de serviço para efetivamente iniciarmos as obras que devem perdurar até julho de 2022” – Ruy Cabral, titular da Sedop.

Gramado, drenagem e iluminação padrão FIFA

No projeto apresentado pelo governo do Estado, está prevista a instalação de um novo sistema de iluminação e gramado, com os padrões exigidos pela Federação Internacional de Futebol (FIFA). Pelas características climáticas do Pará, o padrão utilizado será o mesmo implantado na Arena da Amazônia, em Manaus, para realização da Copa do Mundo no Brasil em 2014. Um novo sistema de drenagem será instalado no estádio.

Credenciado para receber jogos internacionais e sala do VAR

Ao final das obras, o governo do Estado pretende entregar aos paraenses um equipamento público estruturado e credenciado para receber jogos de futebol da primeira divisão e eventos internacionais com a presença da seleção brasileira.

Atendendo exigência da CBF, o Mangueirão vai contar com uma área exclusiva para receber uma central de comando para o VAR (árbitro de vídeo, na sigla em inglês). Neste local, serão analisadas, em todas as partidas que forem necessárias, a implantação da ferramenta, que tem como objetivo esclarecer lances de alto grau de dificuldade e importância durante a partida.

Sustentabilidade: aproveitamento da água de chuva, energia solar

A modernização do futuro maior palco de futebol da Região Norte vai levar em conta o padrão de construção ecológica, medidas de eficiência energética, sistemas de captação e reaproveitamento de água da chuva e instalação de painéis para produção de energia solar.

Mais conforto e segurança aos torcedores

O estádio contará, também, com obras para ampliação das cadeiras, com o fechamento do anel inferior no entorno do gramado. Serão construídas novas áreas para entrada e saída das arquibancadas. A rampa utilizada pelos torcedores para acessar as arquibancadas superiores será duplicada e coberta.

Conectividade

Preocupado com a dificuldade dos profissionais e torcedores que atuam no estádio, principalmente, em jogos com grande presença do público, o governo do Estado está estudando alternativas para fortalecer o sinal de internet nas instalações do estádio.

Características arquitetônicas

A Sedop afirma que, apesar das obras de revitalização e readequação, as características arquitetônicas do estádio serão preservadas.

Investimento no estádio é de aproximadamente R$ 160 milhões. Obras devem durar 18 mesesFoto: Alex Ribeiro – Ag. ParáNovo Mangueirão fortalece futebol paraense

Ao término da apresentação do projeto para revitalização e readequação do Estádio Estadual Jornalista Edgar Proença, o Mangueirão, dirigentes dos clubes e representantes da Federação de futebol ressaltaram a importância da iniciativa do Estado. É unanime no mundo do futebol que a medida vai garantir mais competitividade e fortalecer o futebol paraense.

“Ficamos muito satisfeito. É uma belíssima reforma. Sabemos das dificuldades que o Estado está vivenciando, mas o esporte não foi deixado de lado. Tenho certeza que em 2022 teremos um novo Mangueirão e, com essa reforma, poder trazer jogos da seleção brasileira de futebol. Será bom para os torcedores e famílias do Estado” – Mauricio Bororó,vice-presidente da Federação Paraense de Futebol.

O presidente do Paysandu, Ricardo Gluck Paul, avaliou que o Pará ficou estagnado após a modernização e criação de outras arenas de futebol. “Como torcedor, estou impactado com a preocupação de conforto e acesso ao estádio, realmente, é revolucionário a reforma do Mangueirão. Já como gestor, posso falar que é um equipamento que vai permitir a ampliação da capacidade e melhor ordenamento. O Paysandu sai desta reunião muito satisfeito”.

O presidente do Remo, Fábio Bentes, afirmou que a modernização do Mangueirão atende às ambições do clube. “É um projeto que melhora a acessibilidade, que era um problema antigo, e vai garantir mais conforto aos torcedores e mais segurança aos clubes. O mais importante é que tudo será feito com um custo justo e em um prazo adequado”, salientou.

 

  • Agência Pará
Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Folha do Caeté
Carregar mais por Esportes

Veja Também

Helder Barbalho é alvo de megaoperação da PF que investiga o desvio de R$1,3 bilhão da saúde

O governador do Pará Helder Barbalho e outros integrantes da cúpula do governo são alvos n…