Foto: ParaPaz / Ana Pula Lima

Conscientizar e informar a população sobre a importância do combate ao abuso sexual infantil foi um dos principais objetivos da Fundação ParáPaz ao realizar a ação de verão em quatro dos principais balneários paraenses no mês de julho. O projeto foi concluído no sábado (25) e domingo (26), na praia de Ajuruteua, em Bragança.

O foco foi a distribuição das cartilhas interativas “Brincando – Viver sem violência, brincar sem violência e aprender sem violência” que aborda o assunto de forma lúdica e educativa através de jogos e brincadeiras de crianças, além de conter endereços e orientações de unidades de acolhimento às vítimas no Estado.

No total, foram entregues 4 mil exemplares aos frequentadores das praias e o resultado foi gratificante. “Conseguimos atingir nosso público-alvo, que são as crianças de 3 a 12 anos, e também seus responsáveis. Muitos pais agradeceram o material, elogiaram o conteúdo e a proposta pra falar sobre esse assunto delicado, mas que infelizmente é uma realidade”, afirmou Renan Freitas, coordenador da ação verão.

Foto: ParaPaz / Ana Pula Lima

A Fundação também distribuiu mil kits de higiene bucal e 8 mil preservativos, doados pela Secretaria de Saúde (Sespa); e reforçou o uso de máscaras distribuindo 2 mil unidades doadas à ParáPaz pelo Instituto de Desenvolvimento Social e Apoio a Mulher Paraense (Idesamp) em parceria com o Instituto Rede Mulher Empreendedora (Irme), por meio do projeto “Heróis usam máscaras”.

A iniciativa do governo do Estado, por meio da Fundação ParáPaz, passou pelos municípios de Curuçá; Salinópolis; Mosqueiro, distrito de Belém e por último, na praia de Ajuruteua, em Bragança.

A cartilha está disponível gratuitamente para download no site da Fundação ParáPaz.

  • Agência Pará
Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Folha do Caeté
Carregar mais por Notícias

Veja Também

Saiba como serão as eleições 2020, que não terão coligações para vereadores

As eleições deste ano para a escolha de prefeitos e vereadores serão atípicas. Há mudanças…